Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Centro de Anedotas

É um centro mas dos pequeninos...

Centro de Anedotas

É um centro mas dos pequeninos...

No escuro todos os gatos são pardos.

A Mulher desconfia que seu marido a estava a trair com a empregada.

 

Resolve preparar uma armadilha pra pegar o marido no com a boca na botija.

Dispensou a empregada no fim de semana e não contou ao marido.

À noite, quando iam para cama, o marido contou a mesma velha história:

- Desculpa, minha querida, mas estou mal do meu estômago outra vez.

Vou tomar um ar e já volto.

Ele então rumou em direcção ao WC.

A mulher saiu rápido pelo corredor, subiu as escadas e deitou-se na cama da empregada.

Mal ela tinha apagado a luz, veio ele, em silêncio.

E, sem perda de tempo, saltou para a cama e fez amor com ela com toda a fogosidade.

Ambos gemiam de prazer.

Quando terminaram, a mulher disse, ainda ofegante:

- Tu não esperavas encontrar-me nesta cama, não é querido?

E ligou a luz.

- Sinceramente, não, minha senhora, disse o jardineiro!!!!!

Economias de uma vida...

João casou-se com Joana e no dia do casamento Joana levou para sua casa nova um grande baú, e pediu para que João respeitasse a sua individualidade e nunca abrisse o baú.

 

Durante 50 anos de casamento, apesar da curiosidade, João nunca abriu o baú.

Na comemoração dos 50 anos, João não aguentou e perguntou para Joana o que tinha dentro daquele baú.

Ela então resolveu mostrar para ele o baú. Ao abrir, João viu 60.000 euros e quatro batatas.

Curioso, ele perguntou por que as batatas, e ela então confessou:

- “Toda vez que te traí coloquei uma batata no baú”.

João, no primeiro momento ficou chocado, mas, depois de meditar, disse para si mesmo:

“Até que posso perdoar… quatro batatas em cinquenta anos, significam uma traição a cada 12,5 anos”.

Então ele perguntou o que significavam os 60 mil euros.

Foi quando ela disse:

- “Toda vez que o baú enchia de batata, eu vendia-as”.